Notícias

SiBBr promove oficina de estruturação e publicação de dados ecológicos

Entre 24 e 26 de Novembro, o Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) promoveu oficina de estutruturação e publicação de dados ecológicos voltada para os sítios do programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (PELD). Realizada na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em Brasília, a oficina reuniu 16 pesquisadores de diferentes biomas brasileiros que foram treinados nas metodologias, ferramentas e padrões utilizados pelo SiBBr e pelo Sistema Global de Informação sobre Biodiversidade (GBIF, na sigla em inglês).

João Gonçalves
PELD é uma iniciativa pioneira no sentido de obter informações relevantes para a conservação da biodiversidade e uso sustentável dos recursos naturais dos ecossistemas brasileiros

"Cada participante da oficina trouxe ao menos um conjunto de dados, com descrição dos métodos de coleta e informações sobre o projeto para treinarem na prática a sua publicação no SiBBr. Dentro da oficina os participantes trabalharam na estruturação dos seus dados seguindo o padrão Darwin Core e os integrando no IPT (Integrated Publishing Toolkit)", afirma o Nó Brasileiro do GBIF, Danny Vélez, lembrando que a publicação definitiva dos dados no sistema ainda depende da conclusão de uma política de publicação de dados do PELD que irá determinar qual licença será utilizada pelos dados coletados no âmbito dos projetos.

Criado em 1996, com financiamento do CNPq, programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (PELD) é uma iniciativa pioneira no sentido de obter informações relevantes para a conservação da biodiversidade e uso sustentável dos recursos naturais dos ecossistemas brasileiros. Membro da International Long Term Ecological Research (ILTER), o programa tem como foco o estabelecimento de sítios de pesquisa permanentes em diversos biomas e ecossistemas brasileiros, integrados em rede para o desenvolvimento e o acompanhamento de pesquisas ecológicas de longa duração.

Os sítios PELD são áreas de referência para a Pesquisa Ecológica no Brasil. Localizam-se nos mais diversos ecossistemas do país, incluindo áreas preservadas e não-preservadas, onde são desenvolvidos estudos nos mais diversos no tema da Ecologia, desde longas séries temporais de dados sobre os ecossistemas e suas biotas associadas, até pesquisas temáticas de menor duração. Os sítios PELD tem papel destacado na formação de recursos humanos especializados (nível de pós-graduação, principalmente), constituindo pólos de nucleação de grupos de pesquisa.

Atualmente o PELD é composto por uma rede de 30 sítios de pesquisa distribuídos nos diversos biomas brasileiros, com atuação marcante e reconhecida pela comunidade científica. Os 16 pesquisadores participantes representavam os seguintes PELDs: TRAN (Transição Cerrado - Floresta Amazônica), ITA (Rios e riachos costeiros da Bacia do Rio Itanhaém), FNC (Pesquisas de Longa Duração na Estação Científica Ferreira), PNCA (Parque Nacional do Catimbau), MAUA (Áreas Úmidas Amazônicas), RLAC (Restingas e lagoas costeiras do Norte Fluminense), ABRS (Abrolhos), ELPA (Estuário da Lagoa dos Patos e Costa Adjacente), ILOC (Ilhas Oceânicas), ELFA (Estrutura e funcionamento da Floresta com Araucária e suas transições), CRSC (Campos rupestres da Serra do Cipó), PELD Jataí, MLRD (Mata Atlântica e Sistema Lacustre do médio Rio Doce), IAFA (Impactos Antrópicos na Floresta Amazônica - Reservas Florestais do INPA) e PEBG (Baáa de Guanabara).

Sobre o SiBBr
Iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com suporte técnico do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e apoio financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), o Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) é o primeiro passo para o Brasil consolidar uma sólida infraestrutura nacional de dados e conteúdos em biodiversidade. O SiBBr é uma plataforma online que pretende reunir a maior quantidade de dados e informações existentes sobre a biodiversidade do Brasil. Seu objetivo é apoiar a produção científica e processos de formulação de políticas públicas e tomada de decisões associadas à conservação ambiental e ao uso sustentável dos recursos naturais, por meio do estímulo e facilitação à digitalização, publicação na internet, integração de dados de livre acesso e uso de informações sobre a biodiversidade brasileira.

Por Comunicação SiBBr