Notícias

MCTI inicia série com cientistas e pesquisadores brasileiros no Twitter

O bolsista da Agência Espacial Brasil Pedro Nehme é o primeiro convidado. A cada duas semanas, participará um especialista relevante para a ciência, tecnologia e inovação (CT&I) do Brasil.

A partir desta segunda-feira (13), o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) dará início a uma série com cientistas e pesquisadores relevantes para a ciência, tecnologia e inovação (CT&I) do Brasil, na rede social Twitter. A cada duas semanas, um especialista irá compartilhar suas experiências e conversar com o público sobre sua área de pesquisa pela internet. O estudante de engenharia elétrica da Universidade de Brasília (UnB) e bolsista da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), Pedro Nehme, de 23 anos, é o primeiro participante.

Nehme será o primeiro brasileiro civil a viajar para o espaço. A bordo, ele levará ainda um experimento, selecionado pela AEB, capaz de avaliar os diversos aspectos fisiológicos relacionados à exposição do corpo humano ao ambiente de microgravidade e hipergravidade, decorrentes de um voo suborbital tripulado.

A seleção do experimento para a viagem está sendo feita por meio do 5º Anúncio de Oportunidade (5º AO), do Programa Microgravidade da AEB. O edital é direcionado a escolas públicas de educação básica em parceria com instituições de ensino superior (IES). Os interessados têm até 27 de abril fazer a inscrição. A divulgação do resultado está prevista para o dia 2 de maio.
Ao longo desta semana, Nehme irá postar no Twitter curiosidades sobre o treinamento espacial que vem realizando como preparação para a viagem. O estudante também fala da importância do desenvolvimento das atividades espaciais para o País.

Os internautas poderão interagir com os pesquisadores enviando perguntas, que serão respondidas por eles às quintas-feiras. Para deixar uma pergunta para o Pedro Nehme esta semana, basta utilizar a palavra-chave #PedronoMCTI.
A ação no Twitter é parte das comemorações dos 30 anos de criação do MCTI, completados este ano. Através de ações como essa, o Ministério pretende inspirar e despertar o interesse de jovens brasileiros pela área de CT&I.

Pedro Nehme

Em 2013, o estudante Pedro Nehme deu um palpite que, literalmente, o mandou para o espaço. Após assistir ao comercial de uma companhia aérea pela internet, que convidava os internautas a arriscar o quanto um balão de grande altitude, lançado no deserto de Nevada, conseguiria subir, Pedro deu o palpite mais aproximado ao resultado oficial, vencendo aproximadamente 130 mil participantes.
De acordo com a companhia aérea o balão explodiria, devido a altitude, e voltaria para a Terra com um paraquedas. No entanto, os participantes deveriam indicar em que altura isso aconteceria. Além disso, era preciso considerar a latitude e a longitude, e marcar a resposta clicando em um mapa dividido em minúsculos quadrados. O balão atingiu 31 quilômetros de altitude. Pedro errou seu "chute" por 14,7 quilômetros. Como prêmio, Nehme irá viajar ao espaço.

"Fui premiado com uma vaga na nave Lynx, da empresa XCOR Space Expeditions. A viagem espacial terá início em Curaçao, no Caribe. O voo será suborbital, ou seja, não entra em órbita da Terra, e atingirá uma altura aproximada de 103 quilômetros, cruzando a chamada linha de Kármán", conta o estudante. A viagem para o espaço está prevista para acontecer no final de 2015, mas o jovem já passa por uma série de treinamentos. A capacitação é financiada pelo Programa Microgravidade da AEB.

"A linha imaginária que separa a Terra do espaço fica a 100 quilômetros de altitude. A viagem terá uma hora de duração, da decolagem à aterrisagem. Ficarei aproximadamente cinco minutos em vendo a Terra do espaço", diz.

O estudante também realizou treinamento no Instituto de Medicina Aeroespacial (IMAE) da Força Aérea Brasileira. Junto de um esquadrão de caça, realizou treinamentos em uma cadeira de ejeção, câmara de altitude e cadeira de Barany (que simula a desorientação espacial), observando o seu comportamento fisiológico diante de situações de hipóxia (falta de oxigênio).

Trajetória

Atualmente, Nehme é estagiário da AEB. O estudante já participou de um curso de inverno no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI) e estagiou pelo programa Ciência sem Fronteiras, pelo período de um ano, no Goddard Space Flight Center, da Nasa. "Pretendo fazer especialização na área espacial. Acredito que o Programa Espacial Brasileiro possui muitos desafios e quero ajudar o Brasil a desenvolver um programa sólido nessa área, para que a sociedade brasileira veja os benefícios do desenvolvimento desse setor", afirma.

Siga o twitter @mcti: ‪#‎sintonizeMCTI

Por Ascom do MCTI - Fonte: MCTI