Notícias

Pesquisador do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, fará parte da força-tarefa do GBIF para acelerar acesso a informações de coleções de história natural do mundo

Equipe de especialistas internacionais, entre eles Eduardo Dalcin do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, foram convocados pela Global Biodiversity Information Facility - (GBIF), que pretende ajudar a acelerar a descoberta e acesso a informações sobre coleções de espécimes não digitalizadas do mundo.

Divulgação/Greg Basco - GBIF

A força-tarefa, dará início definindo as informações essenciais necessárias sobre vários tipos de coleções. Estes "metadados" irão descrever o conteúdo de cada coleção, auxiliando os detentores dos dados a avaliar e priorizar suas atividades de digitalização.

"Coleções de história natural do mundo são estimadas entre 2,5 e 3 bilhões de exemplares, e pelo menos 90%, não estão digitalizadas", disse Siro Masinde, oficial do programa para a mobilização de conteúdo na Secretaria do GBIF. "Enquanto essas coleções oferecerem vasta fontes inexploradas de informação de espécies, sua escala representará enorme desafio em termos de esforços de digitalização. Ao aumentar e melhorar o acesso aos metadados, que efetivamente descrevem o conteúdo das coleções, as instituições poderão definir mais rapidamente as prioridades e promover ações para a digitalização."

A força-tarefa, composta por membros provenientes dos Estados Unidos, Brasil, Reino Unido, Benin, França e Japão, irá desenvolver uma estratégia e um plano de ação por meio de consultas com especialistas de outras instituições, iniciativas de digitalização e projetos, bem como potenciais financiadores. Ele também espera para compartilhar orientações sobre a mobilização de metadados ao documentar modelos de negócios bem-sucedidos.
A força-tarefa é presidido por Leonard Krishtalka do Instituto da Biodiversidade na Universidade do Kansas. Os outros membros do grupo são,
Barbara Thiers, New York Botanical Garden (Estados Unidos)
Deborah Paul, iDigBio , Florida State University (Estados Unidos)
Eduardo Dalcin, Jardim Botânico do Rio de Janeiro (Brasil)
Ian Owens, Museu de História Natural, em Londres (Reino Unido)
Jean Ganglo, Universidade de Abomey-Calavi (Benin)
Marc Pignal, Muséum National d'Histoire Naturelle (França)
Masanori Nakae, Museu Nacional da Natureza e Ciência (Japão)

Fonte: GBif