Notícias

SiBBr apresenta banco de dados nutricionais de espécies brasileiras

Parceria entre o SiBBr e o Ministério do Meio Ambiente, no âmbito do projeto Biodiversidade para Alimentação e Nutrição, a ferramenta permite buscar por receitas e por composição de alimentos de espécies nativas da biodiversidade brasileira.

Qual o valor nutricional da mangaba? Como um doce de araçá pode enriquecer uma receita de pamonha? Com o objetivo de aproximar espécies nativas da biodiversidade brasileira da mesa da população, o Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), por meio do Projeto Biodiversidade para Alimentação e Nutrição (BFN), desenvolveu a ferramenta Biodiversidade & Nutrição. Tendo como base um banco de dados nutricionais e um banco de receitas de alimentos derivados de espécies nativas brasileiras, a aplicação permite nutricionistas, consumidores, entre outros, pesquisarem o valor nutricional de alimentos brasileiros.

Jurandir Junior/ SiBBr

Apresentado durante o Simpósio Internacional Biodiversidade para Alimentação e Nutrição, entre 27 e 28 de novembro, em Brasília (DF), o banco de dados pode ser acessado livremente por meio do portal SiBBr. Os dados de composição nutricional foram obtidos por meio de compilação da literatura científica já publicada, conforme metodologia desenvolvida pela International Network of Food Data Systems (INFOODS), da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) ou da análise laboratorial direta. Este trabalho foi realizado em parceria com universidades federais e institutos de pesquisa nas cinco regiões do país. As mesmas instituições também desenvolveram as receitas culinárias que compõem o banco de receitas com espécies nativas.

“Esperamos que o banco de dados de composição nutricional da biodiversidade seja uma referência nacional para a composição de alimentos derivados de espécies nativas brasileiras, de forma a integrar a biodiversidade em projetos científicos, programas, políticas públicas, intervenções e aconselhamento nutricional, tanto em iniciativas públicas quanto privadas”, afirma a diretora do SiBBr, Andrea Portela Nunes, coordenadora-geral de Gestão de Biomas da Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Iniciativa do MCTIC, com suporte técnico da ONU Meio Ambiente e apoio financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), o SiBBr caminha para se tornar a mais sólida infraestrutura nacional de dados e conteúdos em biodiversidade.

A ferramenta Biodiversidade & Nutrição será fomentada continuamente pelas instituições parceiras, com dados analíticos ou compilados e com a inclusão de novas espécies e alimentos. “A partir da implantação desse banco de dados, as universidades e demais instituições de pesquisa contarão com uma base atualizada que contribuirá para o aprofundamento e o direcionamento de ações de pesquisa e desenvolvimento”, afirmou a coordenadora nacional do BFN, Daniela Moura de Oliveira Beltrame, citando que o sistema também favorece políticas mais adequadas às regiões e suas populações, considerando as características e potencialidades locais da biodiversidade.

Biodiversidade para Alimentação e Nutrição - A ferramenta Biodiversidade & Nutrição é parte do projeto “Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade para Melhoria da Nutrição e do Bem-Estar Humano”, também conhecido como “Biodiversidade para Alimentação e Nutrição – BFN” (na sigla em inglês). Lançada em 2012, durante o Congresso Mundial de Nutrição (World Nutrition Rio2012 - WNRio2012), a iniciativa é coordenada internacionalmente pelo Bioversity International e tem como agências implementadoras a ONU Meio Ambiente e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Além do Brasil, o projeto é desenvolvido no Quênia, Sri Lanka e Turquia.

No Brasil, as atividades acontecem em âmbito nacional e visam promover a conservação e o uso sustentável de espécies nativas e demonstrar a importância dessas espécies na diversificação da alimentação e combate à má nutrição. Liderado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), o projeto também busca valorizar a importância alimentícia e nutricional das espécies brasileiras e resgatar o valor cultural desempenhado no passado por muitos desses alimentos. A iniciativa também pretende demonstrar o valor das espécies nativas e de seus produtos como fonte de trabalho e renda aos agricultores familiares, camponeses, povos e comunidades tradicionais, e pequenos produtores. Da mesma forma, os consumidores perceberão que diversificar a sua dieta com espécies nativas de qualidade nutricional trará muitos benefícios a sua alimentação e qualidade de vida.

Acesse Biodiversidade & Nutrição: ferramentas.sibbr.gov.br/nutricao/

Fonte: Comunicação SiBBr